Dia 16 - Alguém que não está em seu estado / pais

segunda-feira, julho 11, 2016

Lembro quando eu acordava e já tinha comida na mesa, a senhora já estava lavando ou arrumando algo, e meus irmãos na frente da tv vendo desenhos, Ingrid querendo ver uma coisa Yarlley outra e eu que chegava querendo ver outra coisa distinta das deles, sempre assim, a gente brigava pelo controle remoto, gritava uns com os outros e a senhora vinha gritando e desligava a tv pra ninguém ver nada.

Quando lembro disso me da uma nostalgia, era como uma rotina, eu lembro que morria de raiva, era uma gritaria louca, gente entrando e saindo da nossa casa todo tempo, todo mundo falava alto o tempo todo e era uma loucura, eu ficava irritada com tanta bagunça, tanto barulho.

Estranho, hoje eu olho pro lado mãe e não vejo essa bagunça, quando fecho os olhos ainda posso ouvir os meninos gritando, e a senhora conversando com a Dona Socorro mesmo ela estando na sua casa e a senhora na nossa. Quando fecho os olhos eu posso sentir, se eu me focar eu sinto de verdade, sinto o clima bom que era nossa casa, nossa bagunça, era uma boa bagunça, a gente era feliz, alias ainda somos, pena que estou longe.

Sinto falta de tudo, dos meus irmão chatos, da senhora me mandando arrumar as mesmas coisas o tempo todo, sinto falta da minha irmã encher meu saco e querer ficar grudada em mim o tempo todo, sinto falta de brigar pelo controle remoto, hoje tenho uma tv só minha e não sinto vontade de ver nada, posso fazer tudo ou fazer nada e só sinto vontade de te ouvir me mandar fazer algo, só queria voltar pra casa de novo, dormir na minha cama de novo, gritar sem motivo.

E de repente eu só me sinto sozinha, sei que a vida segue e temos que fazer nossas escolhas, eu fiz a minha, mas nada impede de sentir falta da minha família, da minha bagunça, dos loucos que me rodeavam, ninguém nunca me disse que era tão difícil sair da barra da saia, mas eu fico feliz por que eu sei que sempre vou ter meu lar, pode não ser na mesma casa, afinal um lar não é um lugar e sim pessoas, e eu sempre vou ter minha família, longe ou perto eu sei mãe que vocês não podem se livrar de mim.

P.S morrendo de saudades



E chegou a decima sexta carta desse desafio que eu amo de mais, te muito mais no Insaturada, beijos beijos

Veja também

2 comentários

  1. Linda carta!
    Saudade é um sentimento que aperta o peito e deixa o vazio.
    Adorei o blog, já seguindo.
    Beijos,
    http://www.fabulonica.com/

    ResponderExcluir