Resenha dupla: A lista negra & Juntando os pedaços

domingo, junho 11, 2017

Hi guys, hoje temos dobradinha de resenha literária. Eba \0/ \0/ \0/
São duas obras que li recentemente e que mexeram comigo, os dois tem algo em comum. O bullying. E cada um vai te ensinar algo, talvez se aceitar como você é, ou aprender que é importante saber perdoar, e aprender a não julgar tanto os outros que estão ao nosso redor. 


Ficha Técnica
Título: A Lista Negra
Autor: Jennifer Brown
Tradução: Claudio Blanc
Editora: Gutenberg
Páginas: 272

O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos. 
Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas.

Eu sou fã dessa autora desde que li amor amargo, e posso dizer que não me decepcionei em nem uma palavra, é uma leitura forte, cheia de angustias e muita reflexão. Valerie tem que voltar pra escola depois de seu namorado abrir fogo contra todo mundo que estava em sua lista negra, e ela se vê em meio ao fogo cruzado, seus antigos amigos não querem ter nada a ver com ela, seus pais não sabem como lidar com a garota que na visão deles ajudou na grande tragedia, como voltar a uma vida normal se todos a julgam por onde passa, e sem a única pessoa que ela achava que era seu porto seguro e que acabou sendo o destruidor dos sonhos e da vida de tantos e com a sua própria? 

O livro mostra o lado de todas as partes, das vitimas que tiveram suas vidas acabadas tão jovens, seus sonhos destruídos. O lado de quem sofre o bullying. que muitas vezes é ignorado, 'ah é só brincadeira' Não, não é só uma brincadeira, é sério e é ruim, pra todo mundo. 

Esse livro me fez chorar, me fez sentir raiva. e é daqueles livros que todo mundo deveria ler, Eu me senti muito mal principalmente pelo modo que a família a trata, o pai não consegue perdoa-la, sua mãe acha que a qualquer momento ela vai sacar uma arma e sair atirando em todo mundo, ninguém confia nela, e eu sinto uma grande angustia ao ver como Valerie fica com tantos julgamentos de todas as partes. 

O livro é muito intenso e forte, e sobre um assunto que deveria ser levado mais a sério, cada um tem suas particularidades e é isso que nos torna especiais, ser diferente não é ruim, ninguém pensa igual se veste igual, ou tem os mesmo gostos, temos que aprender a tolerar e a aceitar, nem todo mundo é igual, não viemos de uma fabrica com número de identificação, somos seres únicos e temos que saber respeitar. 

"O tempo nunca acaba. Assim como sempre há tempo para a dor, sempre há tempo para a cura, é claro que há."


Ficha Técnica
Título: Juntando os pedaços
Autor: Jennifer Niven
Tradução: Alessandra Esteche
Editora: Seguinte
Páginas: 392

Jack tem prosopagnosia, uma doença que o impede de reconhecer o rosto das pessoas. Quando ele olha para alguém, vê os olhos, o nariz, a boca… mas não consegue juntar todas as peças do quebra-cabeça para gravar na memória. Então ele usa marcas identificadoras, como o cabelo, a cor da pele, o jeito de andar e de se vestir, para tentar distinguir seus amigos e familiares. Mas ninguém sabe disso — até o dia em que ele encontra a Libby. Libby é nova na escola. Ela passou os últimos anos em casa, juntando os pedaços do seu coração depois da morte de sua mãe. A garota finalmente se sente pronta para voltar à vida normal, mas logo nos primeiros dias de aula é alvo de uma brincadeira cruel por causa de seu peso e vai parar na diretoria. Junto com Jack. Aos poucos essa dupla improvável se aproxima e, juntos, eles aprendem a enxergar um ao outro como ninguém antes tinha feito.

Outra autora que já me fez chorar, em Por lugares incríveis, e mais uma vez lá vem Jennifer com assuntos que precisam ser discutidos. Em Juntando os pedaços conhecemos duas pessoas maravilhosas, mas que infelizmente cheios de dramas e cicatrizes por dentro. Temos Libby uma menina delicada, que ama dança e que só  quer ser parte do mundo, mas que após o falecimento da mãe entrou em depressão e engordou muito, chegando a ser considerada a adolescente mais gorda dos estados unidos e não conseguindo sair de casa deixando a vida normal de ir a escola, sair, para trás. E Jack, que é o garoto popular, namorado da garota mais popular, legal diverto mas que esconde uma rara doença e que faz de tudo pra ela não vir a tona por que morre de medo de se sentir excluído ou motivo de chacota por causa dela.

Anos depois e com mais de 100kg a menos Libby volta a escola, toda cheia de esperança e certa de que vai ser maravilhoso, mas infelizmente não é bem assim, logo nos primeiros dias de aula ela se torna alvo dos valentões da escola por defender uma amiga, e Jack é que pratica o bullying, por não querer ser excluído da roda de amigos, e ela percebe que será sempre a garota gorda. Não a garota bonita, ou a mais legal, ou até mesmo uma garota, será sempre alvo de piadas. E que sempre será lembrada como a garota gorda que ficou presa em casa.

Após o episodio na escola  quando chega em casa Libby encontra uma carta que Jack escondeu na bolsa dela, explicando por que fez aquilo, e contando a ela da sua doença, a primeira pessoa que sabe aliás, a partir daí eles passam a se conhecer melhor e é daí que sai uma grande amizade,  e amadurecimento. 

Libby é a personagem mais forte que já li até hoje, ela não se deixa abalar pelas piadinhas e pelo preconceito, ela sacode a poeira da a volta por cima e ensina muito pra nós, ela os mostra que uma mulher não tem necessariamente que ser bonita que a beleza não é a parte externa e sim a interna, ela é cativante, forte, uma ótima dançarina, e uma ótima pessoa, e uma verdadeira girl power, não é atoa que tem uma menina super poderosa na foto a cima. 

Essa é uma história linda, sobre amizade, sobre segundas chances, e sobre o amor, na forma mais simples, a forma que Jack se descobre apaixonado por Libby é tão fofa, ele a vê como uma raio de sol, e os dois juntos é tudo de não convencional, mas é o mais certo que pode haver. 
— Por que as pessoas se preocupam tanto com meu tamanho? Ela não responde, só pega minha mão e segura. Bailey não precisa responder, porque não existe resposta. Só que apenas as pessoas pequenas — pequenas por dentro — não aguentam o fato de alguém ser grande.



Então é isso gente, duas resenhas curtinhas, só pra falar pra vocês o quanto esses livros são maravilhosso. Já leram algum deles, gostaram? Conta ai :)

Veja também

4 comentários

  1. Que legal o livro, ainda não conhecia, mas parece ser uma boa história em si.
    Amei o post.
    Seguindo https://blogdajenny2014.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ahn gostei de A Lista Negra! Bem diferente do que estou acostumada a ler.

    Beijos
    http://orangelily.com.br/

    ResponderExcluir